acessibilidade

Início do conteúdo da página

Linhas de Pesquisas

Última Atualização: 18/12/2020

O PPGAnt - Programa de Pós-Graduação em Antropologia, nível Mestrado, aprovado pela CAPES em 2010 com conceito 3, possui área de concentração em Antropologia Sociocultural e três linhas de pesquisa: 1. Etnicidade, Diversidade e Fronteiras; 2. Etnologia, Educação Indígena e Interculturalidade; 3. Arqueologia, Etno-história e Patrimônio Cultural.



O PPGAnt é constituído por três linhas de pesquisa, como descrito acima. As linhas são compostas por docentes permanentes e colaboradores que orientam e ofertam disciplinas obrigatórias e eletivas, que as alicerçam juntamente com os projetos de pesquisa dos docentes e dos discentes. As disciplinas não se filiam diretamente as linhas de pesquisa, porém procuram atender as necessidades dos projetos de pesquisa dos docentes e as pesquisas dos discentes no tocante as temáticas abordadas em suas pesquisas. O núcleo das disciplinas obrigatórias reforçam os pressupostos teórico-metodológicos da Antropologia Sociocultural, enquanto as disciplinas optativas dialogam com as temáticas dos Projetos de Pesquisas dos docentes e dos discentes, bem como com os temas atuais que pautam os estudos antropológicos. As disciplinas obrigatórias computam 14 créditos, incluindo o Estágio de Docência obrigatório para os discentes bolsistas e, facultativo aos demais. As disciplinas optativas estão sendo analisadas pela Coordenadoria do Curso com a intenção de reformulação e junção de suas ementas. Outra consideração se dá no sentido de incluir novos temas para debate em classe. É bem provável que cairão em quantidade nos próximos anos, porém toda a atenção do coletivo de professores recairá sobre o diálogo necessário com as temáticas contempladas pelas Linhas de Pesquisas. Atualmente, temos 17 disciplinas optativas das quais algumas ainda não foram ofertadas. Contudo, estamos em processo de redesenho do quadro curricular para otimizar o quadro docente e o diálogo entre as linhas. A alteração da composição do corpo docente também será contemplada na redefinição das disciplinas optativas. 
Vários temas de importância fundamental à ciência antropologia são abordados, almejando uma sólida construção de conhecimento. Assim, além das disciplinas obrigatórias, o discente tem oportunidade de suprir demandas teórico-metodológicas particulares, no sentido de ter em mãos um rol de disciplinas optativas que vem sendo oferecidas alternadamente. Apesar de não haver um engessamento das disciplinas nas linhas tentamos estabelecer uma relação mínima. 

As disciplinas obrigatórias são cumpridas por todos os discentes do curso. É necessário concluir esses créditos para qualificar. 
TEORIA ANTROPOLÓGICA I (OBRIGATÓRIA - 4 CRÉDITOS) 
TEORIA ANTROPOLÓGICA II (OBRIGATÓRIA - 4 CRÉDITOS) 
METODOLOGIA DE PESQUISA ANTROPOLÓGICA (OBRIGATÓRIA - 4 CRÉDITOS) 
ESTÁGIO DE DOCÊNCIA (OBRIGATÓRIA PARA BOLSISTAS - 2 CRÉDITOS) 

Linha 1 - Etnicidade, Diversidade e Fronteiras 

Esta linha de pesquisa desenvolve temas relacionados aos mais diversos marcadores sociais da diferença (classe, raça, etnia, gênero, sexualidade, religiosidade, geração, etc.) e suas relações com (de)colonialidades, interseccionalidades e fronteiras, sejam estas últimas geográficas e/ou simbólicas, com ênfase no cenário socioespacial do Mato Grosso do Sul e regiões platinas adjacentes.

Seu objetivo principal é o de produzir contribuições teórico-etnográficas acerca de dinâmicas e processos sociais mobilizados por tais marcadores de diferença, bem como sobre relações de poder e desigualdades que os perpassam, nas mais diferentes conjunturas e institucionalidades, com proeminência dos contextos dos direitos humanos; da educação formal e não formal; da (re)produção de violências; da constituição de subjetividades e agências, e que incidem, direta ou indiretamente, na proposição de políticas públicas.

Lembremos que o Estado de Mato Grosso do Sul agrega uma gama variada de coletivos indígenas e tradicionais, tais como quilombolas, pantaneiros e ribeirinhos, além de colônias de imigrantes (árabes, bolivianos, italianos, japoneses, paraguaios, venezuelanos, haitianos, dentre outros). A multiplicidade de experiências culturais e históricas foram forjadas grande parte das vezes em meio à investida desumanizadora do processo civilizador-colonizador, que incide de forma intensa no contexto de fronteira, propiciando a moldagem de distintas territorialidades e identidades, num processo que envolve trocas, mas também assimetrias de poder e, consequentemente, exclusões e conflitos.

Trata-se de uma fronteira marcada por constantes fluxos migratórios e de mercadorias (“lícitas ou ilícitas”), bem como permanente intercâmbio sociocultural que abrange instituições, força de trabalho, costumes, línguas, religiões, artes e culinária, processos educativos, dentre outros. Tais fluxos incessantemente repõem e reordenam as distinções étnicas e culturais. É justamente essa dinâmica e a maneira como se traduz na afirmação dos sinais diacríticos das culturas locais, que reside também o interesse desta linha de pesquisa. Assim, justamente por vivermos “a” fronteira e “na” fronteira, enquanto espaço de (des)encontros e disputas, seja na sua dimensão física e/ou simbólica, é que ela se torna uma potência crítica e analítica a partir das experimentações que pulsam, no limite, para a afirmação ou negação da potência de vida.

Nesse enquadre, as experiências educativas vividas nestas zonas fronteiriças expressam alteridades e potências, tanto no que se refere à dimensão civilizatória - como marca institucional, quanto de processos de subjetivações, de moralidades e éticas outras, potencializados pelos movimentos (sociais) e distintos coletivos, atravessados por marcadores sociais de diferenças, e seus modos próprios de educação.

Por fim, levando em conta a diversidade de temas, problemas e perspectivas, a linha adota uma abordagem transdisciplinar, em que consideramos também as diferentes trajetórias das pesquisadoras, pesquisadores e docentes que compõem a linha. Nesse movimento, estreitamos cada vez mais o diálogo com diversas áreas do conhecimento e suas respectivas orientações teórico-metodológicas.

Disciplinas referentes:
MOBILIDADES E FRONTEIRAS (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
A mobilidade como fenômeno social contemporâneo e a constituição de novas fronteiras étnicas e culturais. Processos migratórios e circuitos comunitários transnacionais. Fluxos de mobilidade e as diversas categorias de viajantes: nômades, migrantes, exilados, romeiros e turistas. Identidade e diferença: dinâmica cultural nas áreas de fronteira e nos territórios de fronteiras móveis. Redes transnacionais e diferenças culturais. Fluxos multidirecionais: interação e conflito na fronteira Brasil-Bolívia e Brasil-Paraguai. 
EPISTEMOLOGIA DAS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Fundamentos epistemológicos da produção do conhecimento científico no campo das religiões afro-brasileiras. As construções teórico-metodológicas de antropólogos, sociólogos e historiadores de Nina Rodrigues (XIX) aos dias atuais. Temporalidades e espacialidades. Bases e limites. Diálogos. 
ANTROPOLOGIA DO DIREITO (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
O campo de estudo da Antropologia do Direito. Estudo de instituições e processos relativos ao Estado: perspectivas teóricas clássicas e contemporâneas. Análise de processos de resolução de disputas e de situações de conflito em diferentes sociedades e/ou contextos culturais específicos, a partir de uma perspectiva interpretativa. Etnografias da organização estatal, de carreiras do funcionalismo e da formulação e implantação de políticas públicas. 
FAMÍLIA, GERAÇÃO E GÊNERO (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Estudos sobre família, geração e gênero em Antropologia Social. Entrecruzamentos e interfaces entre relações de gênero e geração em diversas modalidades de associações familiares. 
TÓPICOS ESPECIAIS I (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
Trata-se de uma disciplina com ementa aberta, sem bibliografia fixa, a ser oferecida à medida em que forem apresentadas demandas relativas a temas de interesse à área de concentração e às linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 
TÓPICOS ESPECIAIS II (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
Trata-se de uma disciplina com ementa aberta, sem bibliografia fixa, a ser oferecida à medida em que forem apresentadas demandas relativas a temas de interesse à área de concentração e às linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 

Linha 2 - Etnologia, Educação Indígena e Interculturalidade 

Esta linha articula as pesquisas realizadas no PPGAnt/UFGD interessadas em descrever as relações e transformações indígenas sul-americanas, em particular as redes e coletivos que habitam a porção meridional do continente, como os falantes de línguas guarani, aruak, jê, guaicuru e línguas nacionais. O corpo docente vinculado a linha de Etnologia Indígena possui larga experiência em atividades de pesquisa, colaboração, assessoria, laudos e perícias antropológicas. Nos últimos anos devido aos efeitos das políticas de afirmação afirmativa na pós-graduação, o programa tem recebido anualmente um número expressivo de pesquisador@s indígenas vindos de vários cursos de licenciaturas (regulares e interdisciplinares) intensificando o alargamento do campo clássico das pesquisas em Etnologia Indígena como parentesco, mitologia, territorialidades, organização social, xamanismo e ritual aos temas que ganham relevo a partir de etnografias (indígenas e não indígenas) interessadas ema descrever redes, relações, circuitos e traduções ameríndias mediante ao efeito da intensificação das relações com as políticas públicas, culturais e desenvolvimento como a educação escolar indígena, políticas de atendimento à saúde e do indigenismo. Neste aspecto destaca-se a necessidade de produzir reflexões que tenham como eixo de conexão a produção da ciência crítica, reflexiva e intercultural.

Disciplinas referentes:
ANTROPOLOGIA DO COLONIALISMO (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Origens e desenvolvimento da antropologia do colonialismo. Perspectivas pós-colonialistas e aplicação dos termos "colonialismo interno" e "situação colonial" para a compreensão da dimensão sócio-histórica dos contatos interétnicos entre sociedades indígenas e as frentes pioneiras de expansão capitalista e os Estados nacionais. Os contatos interétnicos e o colonialismo como objeto de investigação científica e como conceitos subjacentes à própria conformação da ciência antropológica. Antropologia dos contatos interétnicos e do colonialismo no Brasil contemporâneo. 
ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO E INTERCULTURALIDADE (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Diferenças culturais e educação. Políticas públicas educacionais e a diversidade étnica. Diálogos entre processos próprios de aprendizagens das populações tradicionais e saberes da cultura ocidental. 
DIVERSIDADE ÉTNICA E DIREITOS SOCIOCULTURAIS (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Diversidade étnica no Brasil. Sociedades e Comunidades Tradicionais. Formação do Estado-Nação brasileiro. Direitos Humanos no Brasil. Estudos acerca dos povos tradicionais e o direito. Discussões sobre diversidade e direitos socioculturais. 
ESPAÇOS, CULTURAS E FRONTEIRAS (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
A produção e a reprodução do espaço. Espaços e culturas. Grupos étnicos e culturas: territórios, territorialidades, multiterritorialidades, transterritorialidades, mobilidades e fronteiras. Processos de identificação/diferenciação étnico-territoriais. Espaços, identidades e representações. 
ETNO-HISTÓRIA E TEORIA ANTROPOLÓGICA (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Desenvolvimento do método interdisciplinar da etno-história no âmbito da antropologia norte-americana. Teoria antropológica, etno-história e história indígena. Arqueologia como história indígena de longa duração. Interfaces entre etno-história, etnologia e arqueologia. 
ETNOLOGIA INDÍGENA (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Etnologia das sociedades indígenas, com ênfase na organização social, política e cosmologia. 
LAUDOS EM ANTROPOLOGIA SOCIAL E ARQUEOLOGIA (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Laudos periciais, administrativos e técnico-científicos em Antropologia Sociocultural e Arqueologia. Interfaces entre Antropologia Sociocultural, Arqueologia e Direito na aplicação de saberes relativos à produção de laudos. Desafios teórico-metodológicos e dilemas éticos na aplicação de saberes antropológicos e arqueológicos para o reconhecimento de etnicidades e territórios étnicos. Antropologia, Arqueologia e licenciamento ambiental de projetos desenvolvimentistas. 
TÓPICOS ESPECIAIS I (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
Trata-se de uma disciplina com ementa aberta, sem bibliografia fixa, a ser oferecida à medida em que forem apresentadas demandas relativas a temas de interesse à área de concentração e às linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 
TÓPICOS ESPECIAIS II (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
Trata-se de uma disciplina com ementa aberta, sem bibliografia fixa, a ser oferecida à medida em que forem apresentadas demandas relativas a temas de interesse à área de concentração e às linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 

Linha 3 - Arqueologia, Etno-história e Patrimônio Cultural 
TEORIA DA CULTURA MATERIAL (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Conceito de cultura material e sua importância para a arqueologia e etnologia. Cultura material, antropologia social e patrimônio cultural. Produção, coleção, consumo, significados, usos e descarte da cultura material em sociedades contemporâneas.ARQUEOLOGIA E PATRIMÔNIO CULTURAL (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Definições de patrimônio cultural material e imaterial. Migração, identidade, nacionalismo e cultura. Legislação brasileira e internacional sobre o patrimônio arqueológico no Brasil. Instituições museológicas, arqueologia e patrimônio cultural. Turismo patrimonial e cultural. Captação e gestão de projetos culturais. 
CULTURA MATERIAL E INTERDISCIPLINARIDADE (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Diálogo interdisciplinar entre arqueólogos, antropólogos, historiadores, sociólogos e especialistas no campo dos estudos da cultura material em geral. Cultura material, significados e idéias sobre objetos vistos como signos que auxiliam seus donos e usuários na comunicação entre as pessoas, além de expressarem suas identidades perante a sociedade. Contextos da produção e consumo da cultura material como rede dinâmica de inter-relações, a partir da qual são estabelecidas conexões mais precisas e participativas com os demais membros da sociedade. 
ETNOARQUEOLOGIA (OPTATIVA - 4 CRÉDITOS) 
Origens e desenvolvimento da Etnoarqueologia no âmbito da arqueologia mundial. Método e teoria em Etnoarqueologia. Etnoarqueologia, cultura material, observação participante e formação do registro arqueológico. Etnoarqueologia, histórico-culturalismo, processualismo e pós-processualismo. Etnoarqueologia, etnologia e teoria antropológica. Cultura material, etnicidade e identidade étnica. Etnoarqueologia no Brasil e em Mato Grosso do Sul. 
TÓPICOS ESPECIAIS I (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
Trata-se de uma disciplina com ementa aberta, sem bibliografia fixa, a ser oferecida à medida em que forem apresentadas demandas relativas a temas de interesse à área de concentração e às linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 
TÓPICOS ESPECIAIS II (OPTATIVA - 2 CRÉDITOS) 
Trata-se de uma disciplina com ementa aberta, sem bibliografia fixa, a ser oferecida à medida em que forem apresentadas demandas relativas a temas de interesse à área de concentração e às linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 
 


 


CONTATO

Rodovia Dourados / Itahum, Km 12 - Unidade II | Caixa Postal: 364 | Cep: 79.804-970
(67) 3410-2271
ppgant@ufgd.edu.br
Fim do conteúdo da página